Follow by Email

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Velocidade dos neutrinos segundo Ulianov


( O cientista citado no artigo é praticante do zen budismo, ligado à Comunidade de Florianópolis, e líder do grupo de prática do zen em Rio do Sul SC, diz ele que não chegaria as suas conclusões sem o aprendizado do zen)

Cientista Brasileiro calcula tempo teórico de chegada dos neutrinos no experimento OPERA e propõe a realização de um novo experimento de medição de velocidade em Portugal, a fim de comprovar que os neutrinos se movem a velocidade da luz.
O Cientista Brasileiro Policarpo Yōshin Ulianov apresentou em 07/01/2012 um trabalho teórico no qual calcula o tempo de chegada dos neutrinos no experimento OPERA, obtendo um valor do tempo de antecipação de chegada dos neutrinos igual a 77ns, que está bastante próximo do valor de 60ns observado no experimento OPERA.
Devido a esta antecipação de 60ns na chegada dos neutrinos no OPERA foi cogitada a hipótese deles estarem viajando mais rápido que a luz, o que gerou uma grande polêmica na comunidade científica mundial, pois este resultado vai contra a Teoria da Relatividade Restrita (TRR) formulada por Albert Einstein em 1905.
Segundo Ulianov os neutrinos se deslocam a velocidade da Luz, mas no esquema de medição de tempo utilizado no experimento OPERA, ocorre um erro sistemático que surge em função da rotação da Terra aliada a seu deslocamento no espaço em alta velocidade (cerca de 400k/s, ou seja, um pouco mais que um milésimo da velocidade da luz).
Para validar sua hipótese Ulianov propôs a realização em Portugal de um experimento
denominado IPD-WURA (Investigating Positive Delays in Witte-Ulianov Rotation Anisotropy),que deve apresentar como resultado um atraso no tempo de chegada dos neutrinos (ou seja um efeito oposto ao observado no OPERA) da ordem de 112ns.
Figura 1 – Trajetória dos neutrinos no experimento IPD-WURA.
O experimento IPD-WURA poderia ser realizado perto de Lisboa, gerando uma trajetória ótima para a comparação com o OPERA. Isto ocorre, pois o caminho dos neutrinos no IPD-WURA (mostrado na Figura 1 como uma linha vermelha pontilhada), esta acima do equador indo até o limite oeste do continente Europeu, mas na direção de deslocamento leste-oeste. O IPDWURA teria também uma inclinação menor e percurso maior que o OPERA, gerando assim um atraso positivo, cerca de 2 vezes maior que o tempo de antecipação dos neutrinos observado no OPERA, ou seja na faixa de 110 a 120ns.
O trabalho de Ulianov deve gerar bastante polêmica nos meios acadêmicos, pois apesar de mostrar que os neutrinos estão viajando na velocidade da luz, confirmando assim o limite imposto pela TRR, ele está baseado no efeito Witte, que define uma variação de tempo entre dois relógios perfeitamente sincronizados que surge em função da Terra estar se deslocando no espaço em uma alta velocidade. Os atrasos previstos no efeito Witte variam em função da IPD-WURA OPERA
t ns
N
Δ = −60
t ns
N
Δ = 112
hora sideral, o que indica que os mesmos estão relacionadas à rotação da Terra enquanto ela percorre o espaço em uma velocidade de 400km/s.
Desta forma, o trabalho de Ulianov, ao mesmo tempo em que elimina o problema da
velocidade dos neutrinos utiliza em seus cálculos a velocidade absoluta da Terra, o que também não foi previsto nas teorias de Einstein. Segundo Ulianov:
“A analise realizada no meu trabalho mostra claramente que a matemática básica da
TRR de Einstein pode ser utilizada para explicar o efeito Witte. Alem disso alguns
experimentos baseados em relógios atômicos em rotação, podem ser utilizados para
medir velocidades absolutas, como por exemplo a velocidade da Terra em relação ao
espaço que a cerca. Desta forma a efetiva “relatividade” da TRR deve ser mais bem
avaliada, pois existe “algo lá fora” gerando um referencial absoluto de velocidade.
Por outro lado o fato do efeito Witte não afetar diretamente a velocidade dos
neutrinos, leva a instigante conclusão de que a Terra (e tudo que existe nela) se
deslocar no espaço em uma alta velocidade (400km/s) e sofre uma variação de
tamanho (da ordem de uma parte por milhão) ao longo do dia, conforme previsto na
TRR. Assim tudo que nos cerca muda constantemente de tamanho, mesmo sem termos
nenhum noção sensorial de que isto esta de fato acontecendo.”
Assim o resultado apresentado por Ulianov aponta para a existência de um espaço absoluto, um tipo de Éter que atualmente não é aceito nos modelos padrão da física, mas que há mais de cem anos vem gerando grande polêmica.
Para Ulianov a matemática de Einstein, definida na TRR esta 100% correta, mas a princípio Einstein não percebeu que o giro de relógios atômicos permite que a velocidade absoluta de um sistema seja diretamente observada.
Segundo Ulianov:
“A Teoria da Relatividade Restrita de Einstein, mesmo tendo mais de 100 anos de idade
tem uma construção matemática impecável e está totalmente correta. Assim Einstein
foi um cientista tão genial, que se de fato existe um erro na TRR, trata-se apenas de um erro de semântica: Acredito que Einstein deveria ter denominado a TRR de como uma “Teoria do Absoluto” ao invés de usar o tempo “Relatividade”, em todos os demais
aspectos a TRR é perfeitamente certa.”
Neste contexto o experimento IPD-WURA tem uma grande importância, pois não de trata
apenas de saber se os neutrinos andam um pouco mais rápidos ou mais devagar, mas sim de determinar se, em nosso universo, existem de fato referencias absolutas de velocidade, o que pode gerar impactos profundo sobre toda a física moderna.
O trabalho de Ulianov esta disponível em:
http://www.atomlig.com.br/poli/WURA-PT.pdfUma versão em inglês pode ser obtida em: http://www.atomlig.com.br/poli/WURA-IG.pdf