Follow by Email

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Pequenas Ações podem mudar o Mundo




Gostaria de contar uma história muito antiga. Há 2.500 anos, uma senhora andava numa floresta e ela viu um homem agachado fazendo suas necessidades. Quando ela viu aquele homem, ela achou tão digna a postura dele, tão maravilhosa a maneira como ele estava fazendo aquilo, que  ficou profundamente emocionada. Ela então esperou ele terminar, e depois dirigiu-se a ele, perguntando-lhe quem ele era. O nome dele era Shariputra, o mesmo personagem do sutra do coração: - “Oh Shariputra, Oh Shari, Forma é vazio e vazio é forma” - o grande discípulo de Buda. Então ela perguntou quem era seu mestre, e ela pediu para ser aluna de Buda, porque mesmo o ato que nós consideramos mais feio e indigno, na maneira como Shariputra estava executando era cheio de dignidade e beleza. 

Essa é uma história para enfatizar como todas as nossas ações têm sempre beleza, mesmo as que ninguém está vendo, mesmo quando ninguém está olhando, mesmo as coisas mais simples. Então cada um de nós tem que se preocupar em realizar as suas ações transformando-as nas ações corretas do caminho óctuplo: temos que ter uma fala aberta e correta, e também temos que ter as ações de corpo belas e corretas. Acho que a história de Shariputra é definitiva por isso.

Até hoje nos monastérios se ensina tudo, até ir ao banheiro, como você deve fazer isso, e isso inclui deixar tudo perfeito e devidamente limpo para as pessoas que vêm depois, algo que é tão simples, e, se fosse praticado em todos os lugares, mudaria nossas próprias vidas.

Eu vejo que aqui no Brasil existem pessoas que estão limpando os banheiros, e as pessoas passam por elas e fazem de conta que elas não existem. Eu comecei a entrar nos banheiros, no shopping ou qualquer lugar, e, quando tem uma pessoa dessas, eu falo com ela e digo: “ah, muito obrigado pelo seu trabalho”. Um desses homens me disse: -”Faz nove anos que eu trabalho aqui. Nunca uma pessoa me agradeceu”. Então eu dou essa prática para vocês: comecem a fazer isso. São pequenas ações que podem mudar o mundo.

[N.E.: transcrição de trecho de palestra realizada pelo Monge Genshô Sensei]