Follow by Email

sábado, 30 de agosto de 2008

Jardim Japonês


No restaurante do jardim japonês em Buenos Aires, Doko San, monge com sua espôsa e a direita Jisen Sensei, missionária da Soto Shu no Peru e nossa acompanhante nas atividades de Buenos Aires.

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Buenos Aires


Foto Genshô
Foto de palestra do Dharma, Teishô, ministrada por Saikawa Roshi na Sangha de Dokyu Sensei, em Buenos Aires. Monge Dokyu iniciou com Tokuda Sensei em 1984, após passar 10 anos no Japão, dos quais 4 em Eiheiji, mosteiro sede fundado por Dogen Zenji, o grande fundador da Soto Zen no Japão, retornou a Argentina onde ensina atualmente. Ele está à direita na foto, traduzindo as palavras do mestre.

Chile



Em visita à Sangha do Chile, fotografados à frente da Catedral de Santiago, da esquerda Handa San, Monge Pedro do grupo de Santiago, Sergio, um dos mais antigos praticantes budistas e que mantem um dojô zen em seu escritório de advocacia, e Saikawa Roshi, todos enfrentando o frio chileno.

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Aikidô e Zen


Grupo de Aikidô e Porto Alegre com a presença de Monja Isshin oficiando uma abertura de um encontro desta arte.

terça-feira, 26 de agosto de 2008

Zazen sob árvores



Repassando convite de monge do templo Busshinji:

Os mestres do passado meditavam sob árvores. Em cavernas, à beira de um regato, sentados em pedras ou pilhas de folhas secas. Desde Buda Shakiamuni os mestres são unânimes em ensinar: deve-se praticar aqui e agora, sem distinções ou delongas.

Hojes as grandes cidades são lugares complexos em que se vive separadamente, com raras experiências comunitárias. Com isso, a rede que une todos os seres não é percebida e muitas pessoas vivem uma vida de insatisfação.

Na prática da meditação zazen não se rejeita ou se retém nada, momento após momento, sem dar preferência a uma ou outra coisa. O que quer que surja na mente, deixamos que venha, deixamos que vá.

Ao ar livre, sentar, praticar, limpar o local e seguir. Nada para levar, nada para deixar.

“Purifique a mente junto a um regato ou sob uma árvore.
Observe a impermanência sem descanso,
isso irá encorajá-lo a buscar o Caminho.”
(Keizan Zenji, Zazen Yojinki)

Instruções e prática (durante o inverno):

Domingos, às 10:00. Em caso de chuva, não há prática.

Praça Barão Pinto Lima – conhecida como Praça do Boaçava
(na praça, dirija-se ao lado oposto ao das quadras, onde há uma grande paineira)
Mapa: http://maps.google.com/maps?f=q&hl=pt-BR&geocode=&q=Pra%C3%A7a+Bar%C3%A3o+Pinto+Lima,+S%C3%A3o+Paulo&ie=UTF8&ll=-23.541248,-46.726785&spn=0.020262,0.033131&t=p&z=15

Informações:

9911.7469 (Monge Koun)

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

No Brasil, monges de Mianmar pedem sanções contra a ditadura em seu país




No Brasil, monges de Mianmar pedem sanções contra a ditadura em seu país

Religiosos reclamam a liberação de 2.000 presos políticos.
E querem oposição brasileira à venda de armas aos birmaneses.

Na foto:
Os monges Ashin Nayaka, Ashin Agga Dhamma e Ashin Kawwida, em visita ao Brasil (Foto: Paula Adamo Idoeta/G1)

O monge budista Ashin Nayaka não vê seus familiares desde 1988, quando uma Junta Militar assumiu o comando do seu país, Mianmar (ex-Birmânia) e ele refugiou-se na Índia. Não pode encontrá-los nem telefonar diretamente para eles. Muito menos voltar para sua terra natal. Nayaka se dedica, desde então, a viajar o mundo e a levantar consciência sobre a situação dos birmaneses, que vivem sob uma das mais rígidas ditaduras do mundo.

Com outros dois monges budistas, Nayaka está no Brasil desde 17 de agosto, para pedir apoio do governo brasileiro no embargo à venda de armas a Mianmar e no pedido de libertação dos 2 mil prisioneiros políticos birmaneses – entre eles, a líder oposicionista Aung San Suu Kyi, Prêmio Nobel da Paz em 1991, cuja prisão domiciliar foi recentemente estendida por mais um ano.

Sem isso, dizem os monges, as próximas eleições legislativas do país, agendadas para 2010, não representarão a vontade popular. “A votação não será justa ou livre e só servirá para legitimar as atrocidades do governo”, disse Ashin Nayaka ao G1. “Queremos que o Brasil se oponha a isso e defenda o Tratado de Vendas de Armas, que proibirá a venda de armamento para o governo militar”. Atualmente, os maiores fornecedores de armas para Mianmar são Rússia, China e Índia.

domingo, 24 de agosto de 2008

À frente do consulado da China...


UMA VELA PELO TIBETE

Evento desse dia 23 de agosto, das 21:00 às 23:30 horas, em frente ao Consulado da China, em São Paulo, capital, Brasil.

Coordenação geral de Mariane Alexandre, do "Comitê Brasileiro de Apoio ao Tibet"...

Presença valorosa do Rev. Shaku Shoshin, que celebrou as preces e entoou os mantras aos demais participantes.

(...)
O Consulado chamou a polícia e seis viaturas foram convocadas para debelar a "ameaça"
dos ameaçadores 14 participantes armados de velas...

Mente/Coração



Workshop com Prof. Ricardo Sasaki (Dhanapala) Título: "O que o Buddha tem a nos ensinar sobre a Mente/Coração" Tema: Dhammapada – (capítulo 3) Ministrante: Ricardo Sasaki (Dhanapala) Curso ministrado durante os dias 19 e 20 de agosto de 2008 em Florianópolis.

sábado, 23 de agosto de 2008

Workshop do CBB em Florianópolis



O Prof. Ricardo Sasaki do Theravada, e o Monge Genshô do zen, ambos diretores do Colegiado Buddhista Brasileiro, falam no workshop promovido pelo CBB na Universidade Federal de Santa Catarina, na quinta feira passada.

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Dalai Lama acusa chineses de voltarem a matar no Tibete


Tropas chinesas abriram fogo contra tibetanos, diz Dalai Lama
quinta-feira, 21 de agosto de 2008 09:06 BRT


PARIS (Reuters) - O Dalai Lama acusou as tropas chinesas de abrir fogo contra manifestantes no leste do Tibete no dia 18 de agosto e afirmou, em uma entrevista publicada na quinta-feira, que tinha informações não confirmadas de que 140 pessoas foram mortas na ocasião.

O líder espiritual exilado do Tibete disse ao jornal francês Le Monde que o Exército abriu fogo durante um protesto na região de Kham, no leste do Tibete, na segunda-feira.

"Pelas minhas contas, 140 tibetanos foram mortos, apesar deste número ainda ter de ser confirmado", disse o Dalai Lama, segundo o jornal.

"Desde os combates em março, testemunhas confiáveis disseram que 400 pessoas foram mortas somente na área de Lhasa... Se você considerar a totalidade do Tibete, o número de vítimas é obviamente maior", disse.

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Como procurar o bem e evitar o mal?


É natural termos recaídas e irmos procurar exatamente as coisas que sabemos que nos fazem mal. Procure cuidadosamente e se relacione com pessoas que você admire por serem aqueles que elevam, elas existem neste mundo, evite as companhias e comportamentos que conduzem ao mundo da destruição da saúde física e mental. Alimente o que há de melhor em você, não seu lado destrutivo e apegado, fumar , beber etc...são condutas suicidas disfarçadas, negam a vida e a felicidade, entorpecem, nos tiram a clareza. Busque a clareza, você sabe o que deve fazer e o que é melhor para você, intimamente todos o sabemos.

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Francisco Casaverde

Neste endereço: http://www.franciscocasaverde.com/zen_audio.html você acha links para recitações musicadas do zen:


Sutras e Daranis em MP3 para download:


Maka Hannya Haramita Shingyo (japonês) - 1,24MB

Sutra do Coração em português (com teclados) - 2,76 MB

Daihi Shin Darani (com teclados) - 1,35 MB

Sutra do Coração em português (tradicional) - 2,96 MB

Tissarana - (O Triplo Refúgio) - 1,94 MB

Sho Sai Myo Ki Chi Jyo Darani (com teclados) - 890 kb NOVO

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Yoga para zazen em Florianópolis


Hoje estarei novamente praticando(18h-19h15) alguns exercicios do YogaZazen. Todos(interessados em praticar ou conhecer este tipo de prática gratuita) alem de convidados sao benvindos.

Para aqueles que ainda nao conhecem: sao asanas e movimentos do Yoga que visam nos ajudar na postura corpoMente do Zazen.

Qualquer duvida é só me contactar.
(Local: Comunidade Zen Budista de Florianópolis www.chalegre.com.br/zendo )


No Dharma
Yôkô /\

sábado, 16 de agosto de 2008

Uma vela pelo Tibete


estás confortável?

bem alimentado?

podes praticar a tua religião?

podes viajar livremente?

podes conversar com quem queres?

acercar-te do que queres?


isto é o mínimo que podes fazer:


Pega numa vela, reune alguns amigos e no próximo Sábado, 23 Agosto às 21.00 horas coloca-te em frente da Embaixada Chinesa:

Rio De Janeiro RUA MUNIZ BARRETO, 715-BOTAFOGO, RJ, BRASIL
Sao Paulo R.ESTADOS UNIDOS, 1071 JARDIM AMERICA, SAO PAUL-SP. CEP: 01427-001
BRASILIA Q813, LOTE51, AV. OF NATIONS, BRASILIA-DF, BRAZIL 70443-900

NÃO ESTARÁS SÓ.

Aqui a lista mundial de todos os que estarão contigo
http://www.candle4tibet.org/en/emb

NÃO DEIXAREMOS O TIBETE SER ESQUECIDO

Convide os seus amigos

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

A SUFICIÊNCIA DOS PRECEITOS

Se trata de um redondo equívoco que deixemos de realizar aquilo que deveríamos, só porque existe uma doutrina no Buddhismo que nos diz para abandonarmos, e renunciarmos ao mundo. Alguns se auto-declaram praticantes Zen, e com isto encontram um pretexto para se comportarem desleixadamente, trombeteando contudo aos quatro ventos:''Renunciamos ao nosso corpo para o Buddhismo''. E ficam por aí, para cima e para baixo, andando molhados debaixo da chuva, explicando que isto se deve ao fato que estão acima de sentimentos mundanos. Tal comportamento é de uma idiotice completa, tanto nas ações quanto na mentalidade, mas leigos apressadamente julgam este tipo de praticantes maravilhosos, crendo suas ações provarem estar eles livres de sentimentos mundanos, como uma mostra de autenticidade, enquanto que friamente desprezam aqueles que observam os preceitos de Buddha, e ainda em suas ações estejam de acordo com as regras de Buddha, sem egoísmo em suas práticas. Crêem que estes últimos estão procurando status e ganho mundano. Mas eles mesmos estão identificados com o Buddhismo e possuem virtudes em seus corpos e mentes.
[16](extraido de"Shobogenzo Zuimonki"de Eihei Dogen Zenji)

copiado da postagem de Yokô no site www.chalegre.com.br/zendo

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Zen na Cozinha

Período Gandhara



Após a invasão de Alexandre O Grande, começou a estatuária budista, influenciada pelo estilo grego. Aqui temos uma figura de Buddha deste período, representado como um grego. São as mais antigas estátuas de Buddha conhecidas, antes deste tempo ele era representado apenas por figuras de suas pegadas.

sábado, 9 de agosto de 2008

Atletas pressionam China por direitos humanos no Tibete


Dayron Robles

PEQUIM - Mais de 40 atletas que vão disputar os Jogos de Pequim clamaram à China que encontre uma solução pacífica para a questão do Tibete e que protejam a liberdade de religião e de opinião, informaram grupos de direitos humanos, ampliando a pressão sobre os anfitriões dos Jogos.

Entre os participantes dos Jogos existem 127 atletas que afirmam ter assinado uma petição para que o presidente chinês Hu Jintao leve esporte e direitos humanos juntos, o que Pequim tem sistematicamente rejeitado, alegando "politização" dos Jogos.

Os signatários pedem a Hu que "promova uma solução pacífica para o caso do Tibete e para outros conflitos em seu país, respeitando os princípios fundamentais dos direitos humanos", de acordo com carta enviada nesta quarta-feira pela Esportes pela Paz, Anistia Internacional e Campanha Internacional pelo Tibete.

Eles também pressionam Hu por "liberdade de expressão, de religião e opinião em seu país, incluindo o Tibete", de acordo com o site em alemão da entidade Esportes pela Paz.

Entre os signatários estariam o cubano recordista mundial de corrida com obstáculos Dayron Robles -- um gesto surpreendente para um atleta de um país comunista e amigo da China, o corredor norte-americano DeeDee Trotter e o saltador croata Blanka Vlasic.

Repetidas ligações para os organizadores da petição para checar a lista não foram respondidas. E os atletas citados não puderam ser imediatamente contatados para confirmar sobre suas assinaturas no documento.

(Reportagem de Chris Buckley)

fonte: http://esporte.uol.com.br/ultimas/reuters/2008/08/06/ult28u55431.jhtm

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Workshop com Prof. Ricardo Sasaki


Workshop com Prof. Ricardo Sasaki (Dhanapala)

Título: "O que o Buddha tem a nos ensinar sobre a Mente/Coração"

Tema: Dhammapada – (capítulo 2)

Ministrante: Ricardo Sasaki (Dhanapala)

Diretor do Centro Buddhista Nalanda e psicoterapeuta formado pela USP.


Dias 19 e 20 de agosto de 2008 , das 19h30 às 22h00

Contribuição: R$ 20 por dia ou R$ 35 pelos dois dias.

Vagas limitadas! Entre em contato conosco para fazer sua inscrição:

Organização: Comunidade Zen Buddhista de Florianópolis

Rua Hoepcke, 82, Centro (48) 9971.1323 / 9982.1969

www.chalegre.com.br/zendo / centrozenfloripa@gmail.com

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Uma antologia do Cânone Páli


ENSINAMENTOS DO BUDA - uma antologia do cânone páli
Organização, tradução do páli e material complementar por Nissim Cohen (upäsaka Dhammasärï)

"O livro Ensinamentos do Buda, editado pela DEVIR LIVRARIA é uma obra única, no âmbito mundial, por ser a mais completa e abrangente antologia jamais publicada em qualquer língua ocidental."
Contém a tradução direta dos sutras mais importantes do Cânone Páli organizados por temas, tais como: comportamento individual; maneiras pelas quais percebemos o mundo; sobre a vida emociona l; sobre nossa sexualidade e sensualidade, e muitas outras discussões relevantes ao nosso cotidiano.
Mais do que uma simples coletânea, os Ensinamentos do Buda transportam a sabedoria do Plenamente Desperto, o Buda, para nossos dias, mantendo a essência das lições repassadas séculos atrás e aplicando-as à natureza humana de qualquer época ou local.

A profa. LUCIA BRANDÃO fará a apresentação da obra na palestra:

ENSINAMENTOS DO BUDA
Quando o viver bem é uma prioridade

DIA: 12 de agosto de 2008 - terça-feira
HORÁRIO: 19 horas
LOCAL: FNAC PINHEIROS
ENDEREÇO: Praça Omaguás, 34 - Pinheiros - SP

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Worshop Zen em Curitiba



Em São Luís do Purunã, na pousada Varshana, um grupo de interessados no zen budismo patrocinou um workshop, no fim de semana passado, em que Renata Reginato da Pulsar Psicologia ministrou yoga e se ouviram instruções iniciais sobre o zen e se praticou meditação.

Acenda uma vela pelo Tibete!



Na noite de 07 de agosto, véspera da abertura dos Jogos Olímpicos, junto à janela de sua casa, no trabalho ou em local público, às 21:00 horas...
(Mas faça isso com segurança para não provocar nenhum acidente!)
Convide a sua lista! Mais de 100 milhões no mundo acenderão!

http://www.youtube.com/watch?v=Ee58iv63M2A (Musical: Happiness is... Por Yungchen Lhamo.)

http://www.candle4tibet.org/pt/

* * * * * * *

Abaixo-assinado pela Libertação e o Fim da Violência no Tibete
www.tibet.vai.la
(em português)

http://br.youtube.com/watch?v=LNp3LngJCM8
(Fotos do Levante Internacional)

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Vaclav Havel e Desmond Tutu cobram postura dos atletas olímpicos sobre o Tibete

REPÚBLICA TCHECA - O ex-presidente tcheco Vaclav Havel e o vencedor do prêmio Nobel da paz Desmond Tutu pediram aos atletas olímpicos, nesta quinta-feira, que abordem a questão dos direitos humanos na China durante os Jogos Olímpicos, que começam no mês que vem.

Tutu, bispo sul-africano, e Havel, defensor dos direitos humanos preso pelo governo comunista antes de sua queda em 1989, disseram em uma carta aberta que o Comitê Olímpico Internacional (COI) deve fazer com que os atletas tenham conhecimento da supressão de liberdades na China.

- É necessário que todos os atletas saibam sobre a realidade da China e que apontem as violações aos direitos humanos abertamente, seja onde for ou quando for, guiados por sua consciência, diz a carta.

- Pedimos ao COI que torne isso possível, acrescentaram Tutu e Havel no documento.

Pequim tem sido alvo de críticas de grupos internacionais de defesa dos direitos humanos devido à prisão de um famoso dissidente e à censura aplicada em alguns sites da Internet, além de sua política internacional e restrições aos direitos humanos. Com a chegada da Olimpíada, as críticas têm aumentado.

O COI se esforça para que temas de cunho político não invadam as cerimônias e as provas esportivas. Mas os atletas devem se pronunciar e o COI deveria permitir que façam isso, diz a carta, também assinada pelo dissidente chinês Wei Jingsheng e pelo vice-presidente do parlamento europeu, Edward McMillan-Scott.

- Falar das condições dos direitos humanos... não pode ser violação da licença olímpica, diz a carta.

- Falar de direitos humanos não é política; somente regimes autoritários e totalitários tentam fazer com que seja visto assim. Falar dos direitos humanos é um dever.

Havel irritou o governo chinês em várias ocasiões durante seu período como presidente (1989-2003), principalmente devido à sua amizade com o líder espiritual tibetano, o Dalai Lama.

fonte:http://jbonline.terra.com.br/hotsites/olimpiadas2008/temporeal/ye310723005.asp

domingo, 3 de agosto de 2008

Como é o processo de ensino do Dharma?

1) O processo de ensino do Dharma implica que um aluno faz perguntas a um professor. Nesta etiqueta não há espaço para um debate tipo "discordo" " concordo", o que há é um esforço para esclarecer as dúvidas sobre o Dharma.
2) Não tem, para quem ensina o Dharma, nenhuma importância se as idéias são aceitas ou não, ou se alguém se afasta do budismo porque algo no Dharma não parece satisfaze-lo, tempo não faltará para que tudo se esclareça... O Dharma não será modificado por motivos de preferências pessoais e ele tem uma história razoável de 2600 anos de enfrentamentos filosóficos, sobreviver a este teste de muitas mentes brilhantes é um motivo para desconfiarmos de que há sólidos raciocínios a embasar cada declaração.
3) Desta maneira o esforço de anos de alguns professores de responder milhares de mensagens em listas e perguntas em público implica que ao perguntarmos nos colocamos na posição de saber o que o Dharma expõe. Não há , por parte dos professores que conheço, o desejo de defender alguma posição particular e pessoal, por este motivo ouvimos, aceitamos ou não, livremente, mas não tratamos de negar um ponto contrário ao Dharma. Isto seria negativo para a prática, do ponto de vista do zen em especial, pois significa a defesa de opiniões, e este desejo é considerado um dos mais negativos e geradores de mau carma, assim os professores não devem incentivar tal tipo de debate.