Follow by Email

quarta-feira, 11 de março de 2009

A confiança


Trechos de entrevista para a Folha da Região (SP)

P: Por que o budismo é baseado na visão das coisas pelo conhecimento e compreensão, e não pela fé ou crença cega? É a compreensão que nos possibilita a confiança (baseada no conhecimento)?

R: Porque o budismo não é uma revelação ou algo vindo do alto, a sabedoria é acessível a qualquer pessoa que se dedique adequadamente à meditação, como ele é experiencial não necessita de uma crença.

P: Como as pessoas podem alcançá-la, mesmo nos momentos mais difíceis da vida, sem desanimar?

R: A vida se revela a cada passo, se assumirmos que é assim não precisamos desanimar, basta dar um novo passo e mesmo as coisas que pareciam negativas podem se revelar novas oportunidades e caminhos inesperados. Seguir caminhando é a essência da vida.

P: A partir da confiança é possível driblar e vencer os problemas? Como?

R: Ela permite que os problemas sejam enfrentados, se pensarmos que nada adianta a inação não nos tirará do lugar, permaneceremos no problema atual.

P: Qual a diferença entre confiança e esperança?

R: A esperança, em geral, aguarda que algo fora de nós nos ajude, depende então de uma fé, a confiança ajuda na ação, ou seja depende de nós mesmos alterar nosso carma, nada sobrenatural nos ajudará, só nós mesmos podemos fazê-lo. Esta postura é claramente zen budista, nem todas as abordagens budistas seguem este pensamento.