Follow by Email

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Silentes


Pássaros negros
Silentes
Reverentes.
Ao toque do sino
Às batidas do tambor
Ao som do mar
O zazen.
Num vôo curto
Na areia branca
O pouso.
Com passos lentos
No tapete de conchas
Recolhem lembranças
Deixam pegadas.


Gasshô
Rosana.