Follow by Email

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Controle



Meu primeiro professor do Zen, dizia para não matar uma pedra, porque também uma pedra pode ser danificada simplesmente. Se não houver um motivo plausível não temos o direito de destruir qualquer coisa ou de causar qualquer sofrimento. Esse é um questionamento que cada um deve fazer com relação a si mesmo e sua vida no mundo. Quando penso em moralidade, penso que o budismo não tem uma moral no sentido de regras que temos que seguir porque as regras existem. Não é uma questão de moral, de qual roupa a gente veste ou como nos comportamos, não se trata de uma moral no sentido convencional. Trata-se de uma ética em relação a causar sofrimento, logo, todo ato que cause sofrimento aos outros deve ser questionado, isso significa, meu gesto, minha palavra e em ultima analise meu pensamento. Porque meu pensamento vai fazer com que eu cometa as palavras e os atos que irão gerar sofrimento. Por isso Buda disse que o caminho budista é ser senhor de sua mente. Somente sendo senhores de nossas mentes seremos capazes de evitar sofrimento aos outros e a nós mesmos. Através do descontrole de nossa mente é que começamos a sofrer, porque temos sentimentos que nos perturbam e esses sentimentos é que tem que ser transformados. Mas não basta policiá-los, porque se somente os policiarmos sempre fracassamos, porque o controle falha, controle não funciona bem, o que temos que mudar é o sentimento real. Se mudarmos o sentimento, automaticamente palavras e gestos começarão a se alterar.