Follow by Email

sexta-feira, 10 de março de 2017

A Originação Dependente: Conclusão





A resposta básica do budismo é: você não tem como desaparecer, ou seja, ir embora, porque na verdade você não é nascido. Você sempre esteve aqui. E este momento, aqui e agora, este momento de consciência que você tem, dessa construção de consciência de seu “eu”, é um fenômeno da sua onda cármica que manifestou uma identidade agora. Você tem essa identidade, esse corpo, e confunde isso com uma realidade, e então tenta ser eterno. Isso é para o que tende o eternalismo. E dizer que não, que nada existe, seria o niilismo: não, não vim de lugar nenhum, eu não sou ninguém, ou eu não existo, etc.
Então, entre esses dois extremos transita a originação dependente. Todos somos interdependentes, interconectados, e não temos para onde ir, nem viemos de algum lugar. Somos manifestações cármicas. Porém, nós temos uma capacidade de interferir nessa onda cármica. E, se temos essa capacidade, podemos modificar os acontecimentos futuros, ou seja, as próximas identidades. Portanto, vocês são herdeiros de seu carma e são continuação antiga, muito velha, de acontecimentos anteriores que foram feitos. Nós fomos feitos por nós mesmos, só que não éramos nós... A linguagem atrapalha...

[FIM DA PALESTRA]