Follow by Email

sábado, 10 de janeiro de 2009

Sofrimento


P: Por que, ao acabar essa luta contra o ego, o sofrimento acaba?

Não é por ter lutado com o ego que o sofrimento desaparece. É por ter ampliado seu ego a ponto de não haver mais separação entre ele e qualquer outro ser do universo. O universo, na sua totalidade, é perfeito, sofrimento só existe onde há ego individual, o engano fundamental.


P: Uma idéia que me sacudiu foi a de que ninguém está supervisionando ou apreciando seu desenvolvimento. Essa verdade cortante doeu dupla e profundamente: produziu em mim uma imensa sensaçao de solidão e provou o quanto que o 'eu' aínda reina em mim, pois eu não teria tido a sensação de solidão se a minha personalidade não almejasse aceitação, apoio e aprovação. O que o senhor me diz disso?

R: Nós estamos sozinhos. Mas, de outro ponto, de vista não há ninguém sozinho no mundo; só nos julgamos sozinhos porque pensamos em termos de 'eu'. Quando nos livrarmos disso, não existirá nenhuma solidão possível, porque nossa consciência é o próprio absoluto inteiro e abrange todos os seres. Onde poderá haver solidão sem o 'eu'?


P: Como transitar pela vida reduzindo o sofrimento?

R: Seguindo o caminho do Buda, compreendendo a impermanência, a interdependência e, enfim, passando além da noção de EU. Nesse momento, há desconexão entre a ação e os desejos e apegos e, então, pode haver libertação do sofrimento, porque não haverá mais ninguem para desejar, nem nenhum eu para se apegar e sofrer com o fim de todas as coisas impermanentes.