Follow by Email

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Zazen


Uma vez que você percebe que está pensando, quando não deveria estar fazendo nada, e retorna ao zazen, os pensamentos que apareciam de forma tão clara diante de você como se fossem imagens numa tela de TV, desaparecem de repente, como se você tivesse desligado a TV. Resta apenas a parede à sua frente,Por um instante... é isto. Isto é o zazen. No entanto, os pensamentos novamente aparecem por si próprios. Novamente você retorna ao zazen e eles desaparecem. Nós simplesmente repetimos isto; isto é chamado de kakusoku (consciência da Realidade). O ponto mais importante é repetir este kakusoku bilhões de vezes. É desta forma que deveríamos praticar o zazen.(TEXTO) Voltar. Este voltar para o momento presente é realmente difícil por causa de todos os conteúdos com que nós nos alimentamos. Por isto na vida real nós deveremos evitar também as coisas que entram na nossa mente e a alimentam de forma errada. São os filmes, os programas de TV, os vídeos etc, as conversas e todas as coisas que não são boas. Vocês já sabem que não são boas e são perturbações, conteúdos que não constroem felicidade para você, mas nós somos muito viciados neles e então nós vamos procurá-los porque eles são prazerosos ou meramente interessantes. Até que você tenha uma mente imperturbável, você tem que evitar estas situações. Quando você tem uma mente que não deixa entrar os sentimentos você pode assistir a um filme vendo apenas o filme, sabendo que é meramente fantasia e não sentindo abalos. Se você não os tem, se os sentimentos conseguiram ficar de fora, então você está pronto para ver. Agora enquanto você assistir e ele o influenciar então a sua mente não está livre ainda. Você ainda é alimentado, arrastado por aquelas coisas. Quando você vê alguém no filme, um personagem que está procurando vingança e torce por ele, enquanto você sente esta satisfação no lugar dele a sua mente não é livre. Você é arrastado por aquilo que está vendo. Então se você é arrastado por aquilo que está vendo tem que evitar tudo o que arrasta. Por isto no sesshin a gente faz um modelo. Este modelo é não alimentar a mente com nada. Então zero notícias, zero leituras que não sejam o Dharma, zero conversas, zero músicas, nada. Os sons que nos chegam já são suficientes quando vocês estão sentados no zazen, já tem de madrugada os animaizinhos que correm aqui em cima do telhado, depois os cantos dos galos, as cigarras. As coisas estão bem quando você ouvir estes sons e sentir grande alegria como se fossem presentes. Estar aqui parado, sentado, que lindo o som desta cigarra começando a tocar, parece um prazer. Aí você está bem porque você está realmente ouvindo a cigarra. Se tivesse uma televisão na sala nós ignoraríamos a cigarra, nós não estaríamos aqui de verdade.(Comentario de Monge Gensho sobre texto de Uchiyama Roshi)