Follow by Email

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Os Senhores da Dança


P: Sempre achei um tanto absurdo dizer: -- Sou budista. Monge ou leigo qual a diferença? Falar que sou budista pode ser a verdade tanto quanto mentira. A dança é o que é, nada mais, nada menos. A dança nao é feita calculadamente, nem guiada por outrem, e certamente nao é feita dormindo. O meu budismo é a totalidade da experiencia atual. O que o senhor pensa?


R: Todos os seres que sonham podem acordar, e muitos que vemos estão vivendo o presente sem cogitações, cães e pássaros, peixes e borboletas. Quanto a monges e leigos cada um acaba tendo seu caminho sutilmente diferente, nem somos iguais nem caminhamos igual, sou o monge que posso ser, com filhos, mulher, trabalho etc...e é bem difícil ser monge mendicante no ocidente, mesmo na China e Japão não foi bem assim, logo surgiram os mosteiros os monges passaram a produzir e viver do que faziam. Mendicância e dormir ao relento só nos países quentes do sul da Ásia.

Aqui tenho que trabalhar para viver, minha sangha não pensa em sustentar o monge, e é lógico, para isso só sendo só e vivendo em um quarto na comunidade.
Existe um caminho de aproximação pelo intelecto, um pela ação, um pela meditação. Enquanto se eles não se integram não se é um praticante budista integral. Somente seguir os preceitos não faz de alguem um budista, o que o faz é tentar seguir e praticar de algum modo sem deixar os preceitos de lado. Disseste muito bem não há verdade nem mentira, só uma dança, gosto muito da maneira que usas esta palavra, os mestres são chamados “senhores da dança” , interessante não é?