Follow by Email

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Agradeço e me Desculpo


Um princípio essencial da nossa prática é a harmonia. Como é que nós praticamos a harmonia no nosso sentar? Há no nosso sentar alguns princípios que nós temos que conservar em mente todo o tempo. Nós sentamos e estamos cuidando da nossa prática. A nossa prática é imperfeita, de modo que quando nós chegamos  fazemos uma reverência, cumprimentamos o lugar onde vamos sentar, agradecemos que ele exista, os esforços necessários para que aquele zafu esteja ali, nos voltamos sempre girando no sentido horário para agradecer e pedir desculpas a todos os outros que estão junto conosco, sentados, porque nós, imperfeitos que somos, vamos atrapalhar os outros.

Nós vamos nos mover, espirrar, tossir, nós existimos e ao existirmos, perturbamos. Nós nos viramos no sentido horário porque o tempo não volta para trás. É por isso que sempre nos giramos no sentido horário dentro do zendô. Porque não há como voltar atrás dos erros que cometemos. Nós vamos cometer enganos, erros, e eles ficarão cármicamente marcados e trarão consequências. Por esse motivo nós nos inclinamos então para todos e pedimos desculpas quase como se pedíssemos desculpas por existir, porque ao existirmos nós estamos fazendo isso.