Follow by Email

sexta-feira, 10 de junho de 2011

O esforço


Pergunta: Se eu me esforçar certamente irei conseguir?

Resposta: A resposta para essa questão de que gosto muito é que “com esforço não se
consegue nada, mas sem esforço aí mesmo é que não se vai a lugar algum”. Então isso é um pouco paradoxal, se você se sentar com esforço, “eu estou ambicionando isso, eu quero a iluminação, estou treinamento para obter a iluminação, eu quero, eu quero, eu quero”, você não vai conseguir, porque é uma mente aquisitiva cheia de ambição. Mas se você pensar, bom, então eu não sento, vou continuar andando,estou praticando na minha vida, lendo, sem fazer o esforço de treinar. Por incrível que pareça
eu encontro pessoas que dizem isso. Essas pessoas também não chegarão a lugar algum.

É necessário um esforço, uma determinação. Aí que reside uma diferença entre as escolas zen e as terra pura, caracterizado em dois termos Tariki e Jiriki. Tariki é
confiar no outro poder, o poder de uma graça de fora, de um bodisatva que fez o voto de nos salvar. Jiriki é o próprio poder, eu vou me sentar em meditação e vou treinar duramente para me tornar senhor da minha mente. A tese da escola Terra Pura é que isso é confiar demais em si mesmo e que os homens são incapazes disso. O argumento das escolas Jiriki, como o zen, é que, esse é o caminho de Buda. Buda fez pelo seu próprio esforço e nós estamos seguindo o caminho de Buda.
Então é por esforço, nós somos capazes, se Buda foi capaz, nós somos capazes. Buda
não é uma divindade, Buda é um homem. Então o zen desdiviniza Buda, o traz para o nível humano. Algumas outras escolas elevam Buda à um nível sobre humano. A um ponto tal que Shakyamuni Buda não é quem está nos altares principais, porque evidentemente ele foi um homem, então Budha Amidha tornou-se o centro da prática. Alguém que representa a compaixão universal, o universo inteiro.

Então nós estamos em uma escola do esforço próprio. Por isso o sesshin é duro. O primeiro e segundo passo do caminho do boi, já ensinado, praticamente todos já trilharam, é mais fácil de entende-los. O primeiro é uma inquietação, depois encontrar as pegadas e o terceiro é vislumbrei, eu vi alguma coisa, eu tive alguma pequena experiência.
Não pensem que á grande coisa essa pequena experiência, embora ela seja magnífica ela é pequena perante os passos seguintes como nos textos já postados.