Follow by Email

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Experimentar é o caminho



2) O que o senhor pode dizer,  porque a maioria das pessoas ao invés de retornar para si mesmas  se conduzem á procura de Mestres?

A procura de Mestres é a procura de sabedoria. Mas no Budismo nós dizemos assim: “examine seu candidato a Mestre durante 8 anos antes de aceita-lo”. Mas na realidade, verdadeiros Mestres não aceitam discípulos com facilidade. Eu tenho alunos, não tenho discípulos. Para ter um discípulo, leva muito tempo. Muitos morreram sem ter sucessores, sem formar discípulos no ZEN.

Boddhidarma, trouxe o ZEN da Índia pra China, aí pelo ano 600 depois de Cristo.  Boddhidarma, chegando na China, que já tinha Budismo há 500 anos, foi chamado à frente do Imperador Wu, e ele lhe perguntou: “construí muitos templos e mosteiros para o budismo na China, que méritos eu acumulei no céu por causa disso”? E Boddhidarma respondeu: “Mérito nenhum, Majestade.” A "majestade" então perguntou: “Então qual é a grande verdade da sagrada doutrina?” E Boddhidarma respondeu: “A grande verdade é vazio ilimitado, (nem uma coisa tem um eu inerente. Todas as coisas são vazias de um eu próprio, todas as coisas são interconectadas, interdependentes) e não há nada que possa ser chamado de sagrado". Aí o Imperador disse: “Então quem é que eu tenho na minha frente?” E Boddhidarma respondeu: “Não faço a menor idéia” (Grande resposta, não há nenhum eu aqui...). Deu meia volta e foi embora.

Dizem que meditou durante 9 anos numa caverna em Shaolin, e lendariamente ele é o criador do Kung Fu. Durante esses 9 anos homens apareceram para treinar com o Mestre, mas ele não aceitou ninguém. No 9º ano, um homem chamado Taiso Eka  (Hui Ko, em chinês) foi até à frente da caverna e ficou 3 dias em pé, esperando que Boddhidarma falasse com ele e Boddhidarma não lhe deu atenção. Na noite do 3º dia, Eka ficou desesperado e cortou o braço, para mostrar sua sinceridade. Vendo sangue cair na neve, Boddhidarma achou que ele estava lá a sério, foi até ele e perguntou: “O que você quer”? “Mestre, minha alma não tem paz, pacifica minha alma!” E Boddhidarma respondeu: “Mostre-me a tua alma e eu a pacificarei”. “Mas não posso encontra-la”! “Pronto, já pacifiquei a tua alma”. (Shoyoroku caso II)

Neste momento, Eka, acordou de suas ilusões, assim como Buda que só se tornou Buda no momento que despertou, porque a palavra Buda quer dizer “aquele que acordou”. Antes ele era só Siddharta, um homem comum como nós. A única diferença entre nós e ele é que ele acordou. E ele passou a dizer isso para sempre. E quando perguntaram para ele em quem nós devemos acreditar? Uma pessoa vem aqui diz uma coisa, outra diz outra. Ele disse: "não acreditem em ninguém, não acreditem em mim, experimentem e testem", só a experiência pode dar sabedoria verdadeira. O resto é só crença. (Kalama Sutra)

Há alguém aqui em Goiânia pregando que o sol vai nascer amanhã de manhã? Há? Não há. Sabem por quê? Todo mundo tem certeza que o sol vai nascer amanhã de manhã. Tudo que se prega é porque se tem dúvida, e por isso precisa-se repetir todas as semanas, para as pessoas acreditarem, porque no fundo, elas duvidam. É por isso que Buda disse, “não acreditem em mim, construam sua sabedoria com sua experiência”. Quem quiser construir sua sabedoria com experiência, tem que experimentar. Vocês têm que vir e SENTAR. Só precisam ter confiança de que se sentarem para meditar poderão mergulhar em suas mentes e ter reais experiências. E essas experiências serão sabedoria. Tudo o que eu posso dizer sobre o que eu digo é o mesmo que Buda: “não acreditem em mim”. Se vocês acreditam, só porque estou dizendo, não passam de tolos.