Follow by Email

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Lugares e ambientes



Pergunta – É comum escutarmos as vezes comentários do tipo, “nossa, que ambiente carregado!” como o budismo vê isso?

Monge Genshô – Isso pode ser sentido quando entramos numa sala onde pessoas estejam discutindo ou brigando.  Mesmo que todos estejam calados no momento em que você entra, você sabe que algo errado aconteceu.  Do contrario também acontece quando você entra num local onde impera a harmonia e o amor. Mas isso vai depender da sensibilidade das pessoas. De qualquer forma isso pode ser mudado. Tudo é possível de ser alterado e para isso temos a pratica do Zazen, ou se você tem outra crença religiosa e entra numa catedral, por exemplo, você se sente bem.  É preciso que entendamos que a prática muda os lugares e as pessoas, por isso não é uma tolice praticar. A gente sabe muito sobre um lugar apenas por estar nele. Estive uma vez em Dachau, um campo de concentração nazista que fica perto de Munique que continha câmera de gás, locais para tortura e crematórios. Até hoje esse local é conservado em forma de museu. Quando os visitantes chegam é possível ver até restos de ossadas humanas nos fornos. É impossível entrar num local desses e não sentir o peso da violência e das mortes ali ocorridas. Estive visitando esse campo de concentração com um grupo de pessoas e quando saímos dali nos sentamos num café e nenhum de nós conseguia dizer nada, ficamos silenciosos por horas. Por outro lado, existem locais onde coisas muito boas são realizadas, por exemplo, a medida que entramos aqui nessa casa e vamos praticando, sempre falando sobre coisas boas, existe a presença do Dharma e toda essa atmosfera de paz, vamos também sentindo que o local é de paz, o local vai se modificando e ficando impregnado desse clima.