Follow by Email

segunda-feira, 11 de maio de 2015

AS MULHERES NO BUDISMO



Aluno: Sensei, já ouvi a história desse lado de Ananda que gostava das mulheres mas, na hora que as mulheres quiseram entrar na Sangha, Buda se recusou. Parece que foi Ananda que defendeu, ou algo assim? Como foi essa parte?

Monge Genshô: Quem defenderia melhor as mulheres senão Ananda?

Conta-se que a mãe adotiva de Buda, Mahapajapati, com um grupo de mulheres vai até ele. Não é entrar na Sangha em si com o conceito Sangha que nós temos, mas elas pediram para serem ordenadas monjas. E pertencer à Sangha naquele tempo, significava pertencer só à Sangha dos iluminados. Os monges comuns não eram da sangha. Mahapajapati pede isso e Buda pensa: “vai dar confusão. Nós aqui, esses monges todos aí, todos eles não são tão diferentes de Ananda assim, aí colocamos essas mulheres todas juntas, vai dar confusão”. Então Ananda cobra dele: “Mas o senhor ensinou que homens e mulheres são iguais na sua capacidade de atingir a iluminação!”, e com isso Buda concorda com Ananda.

Mas então eles providenciam uma separação de modo que tenha uma sangha feminina separada, uma linhagem feminina separada a partir de Mahapajapati e ela ordena, ela é a primeira grande mestra, e a sangha masculina fica separada, Buda separa fisicamente as sanghas. Até hoje esse problema permanece nos monastérios. Em sua maioria, os que tentaram ter monges e as monjas juntos desistiu, porque é natural o amor, a paixão, é natural que surja. E ai automaticamente criam-se problemas, estão apaixonados, daqui a pouco vai nascer uma criança dentro do monastério, então não dá certo. Então foram separados, monastério feminino num lugar, e masculina noutro, embora os monges no Zen, hoje, quando saem do monastério, podem se casar. Os dois podem administrar o monastério como um casal, por exemplo, caso ambos sejam monges. Mas no local de formação, que é um monastério, devem ficar separados.

Mesmo no sesshin nós separamos os casais. No sesshin não é permitido relações afetivas de nenhum tipo, não é local para namorar. Mas acabou o sesshin, tudo bem. Inclusive, eu diria até que é melhor quando tem casais que são praticantes. Os casais praticantes se apoiam mutuamente, assim fica muito mais fácil.