Follow by Email

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Impulsos


Aula de iniciantes em zazen, Florianópolis

Pergunta – De onde vêm os agregados que compõem a nossa existência? E qual a diferença entre a percepção e a consciência?

Professor Sasaki - Essa é uma pergunta padrão, ela sempre é feita nas palestras.

Aluno - Mas é que não me senti ainda satisfeita, queria algo mais.

Monge Genshô – Ela está merecendo uma resposta Zen. Os agregados surgem da sua mente. Assim surgem seus agregados, de sua mente. Você ficou com olhos inquietos, vou explicar um pouquinho mais.

Os agregados só estão se manifestando sob a forma do corpo dela porque sua mente guarda impulsos de desejos e apegos tais que, obrigatoriamente, se manifestam no mundo sob a forma dela. Então os agregados surgem do carma, da energia cármica que faz com que haja uma manifestação. Esta manifestação que surge, em última análise, da ignorância, tem energia suficiente para juntar e manter juntos os agregados. Mas não se preocupe, em absoluto, porque tudo que é sujeito, tudo que é composto, tudo que é agregado, está sujeito à desagregação e decomposição. Você irá morrer e se decomporá, portanto, não precisa se preocupar.

Pergunta – Mas e quando surge novamente outra existência, quando os agregados se dissolvem...

Monge Gensho – Se os impulsos continuarem farão, obrigatoriamente, surgir uma nova manifestação.

Pergunta - E o que faz os impulsos não continuarem?

Monge Genshô - Muito boa pergunta. Como fazer para os impulsos não continuarem? Se você conseguir fazer com que sua mente esgote seu carma e você se vir livre de todos os desejos, de todos os apegos, de todas as paixões, se você conseguir extinguir isso através da iluminação, não haverá energia para uma nova manifestação cármica. Somente então, você estará realmente livre dos ciclos de nascimento e morte. Estará liberada.