Follow by Email

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

O Pico da Montanha é Aqui e Agora


Algum tempo atrás uma pessoa escreveu pra perguntar por que o nome do livro que eu escrevi era “O Pico da Montanha é Onde Estão os Meus Pés', e não era “NO" pico da montanha é onde estão os meus pés, porque quando chegamos em algum lugar a preposição necessária é “em”. E então eu respondi que foi proposital, pois o que tentei dizer é que todos os lugares onde colocarmos os nossos pés são o pico da montanha. Isto porque o problema normalmente da ambição de realizar-se e de obter-se algum sucesso, alcançar algum determinado lugar e lá colocar os nossos pés, é imaginarmos que só quando chegarmos naquele lugar e colocarmos nossos pés lá, então estaremos felizes, teremos nos realizado, seremos vencedores na vida.

Na verdade, essa ambição revela-se constantemente falsa, porque quando encontramos uma pessoa e perguntamos, “você realizou o que você ambicionava na vida?”, ela nos diz: “ah, eu cheguei lá”, mas aquele “chegar” não se traduziu numa felicidade completa, porque quando chegamos a sensação é: “é só isso? Era isso o que eu queria?”.

Quando nós ambicionamos qualquer coisa e chegamos lá, como quando nos graduamos na universidade e obtemos o diploma e, naquele dia da diplomação imagina-se uma grande coisa, todos tiram fotos e há cumprimentos e festejos, parece uma coisa maravilhosa. No dia seguinte, começou a vida de novo, e nós somos demandados a sermos profissionais, e é como se tivesse começado tudo de novo, e o pico da montanha está longe. E quando atingimos o sucesso profissional, olhamos para aquele sucesso profissional e ele não é suficiente, sempre há uma sensação de que temos que escalar algo, chegar a um outro lugar que não era bem aquele onde estávamos, e por isso nós olhamos pessoas que seriam aparentemente invejáveis, mas começam a usar drogas, ou são infelizes, porque na realidade eles sempre ambicionaram chegar em algum lugar, mas o lugar onde eles chegam não é aquilo que eles imaginavam.

Então, quando eu coloquei o título desse livro, “O pico da montanha é onde estão os meus pés”, eu queria dizer que a sensação correta é agora, nesse instante, aqui é o pico da montanha, eu tenho que estar feliz agora, exatamente nesse instante, não tem nada para alcançar. Tudo o que existe para alcançar já está alcançado, na verdade nós só caminhamos a vida a cada dia, dando um passo e fazendo aquilo que devemos fazer, e a sensação deve ser  “agora, aqui onde estou, este é o pico da montanha”. Se não for agora o pico da montanha, então eu estou fazendo alguma coisa errada, porque não é um sucesso no futuro que nós temos que tentar conseguir, nós temos que nos sentir realizados agora. Se não formos realizados agora, algo está errado, porque não podemos pensar que há algo a alcançar no futuro.

E quando nós sentamos em zazen essa lição está implícita. Nós sentamos e dizemos, “'não cogite do passado, não cogite do futuro, fique aqui, agora”, é aí que você tem que se sentir feliz, completo, um ser pleno naquele agora. Este agora é que é o pico da montanha. Quando você está sentado você tem que se sentir a própria montanha. Não há nada para alcançar, tudo já está alcançado. Essa lição é extremamente importante, porque se você alcançar isso, sabe a cada dia exatamente como deve agir e como deve fazer, e cada dia será pleno, feliz, completo.

Quando corremos atrás de um sucesso no futuro, corremos atrás de mais um sonho, e esse sonho quando alcançado inevitavelmente se mostra fumaça. E esse é um tipo de pensamento que ninguém está acostumado no mundo ocidental, nem no mundo oriental, vamos lá e vemos esses livros de auto-ajuda e eles todos estão dando lições erradas, ninguém ficará feliz com esse tipo de sucesso. Simplesmente a cada montanha que escalar vai olhar à frente e verá outra montanha. Mais alto, sempre difícil e, quando terminamos a vida assim, parece que não chegamos lá. Por isso nós temos que enxergar o pico da montanha agora. (continua)