Follow by Email

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

A técnica ou a ciência não são culpadas, nós é que somos culpados



(Continuação) Assim como todas as atividades humanas, os negócios podem ser bons ou ruins, depende de como são feitos. Essa pergunta é o mesmo que questionar se uma faca é boa ou ruim. Essa faca pode ser usada na cozinha para descascar batatas, mas também pode ser usada para matar. Ela não tem uma bondade ou uma maldade intrínsecas, assim como todas as outras coisas. Se não fossem os negócios, por exemplo, estaríamos vivendo a vida como estávamos vivendo há 200 anos, com todos os problemas daquela época, com toda a inabilidade técnica daquela época. A técnica jamais pode ser classificada como boa ou má, ela depende extremamente do que está acontecendo em volta. Alguém poderia apontar o dedo para a medicina e dizer “a medicina é má, porque a população da Terra aumentou muito por causa dos antibióticos, a partir da metade do séc. XX a expectativa de vida quase dobrou, quando paramos de morrer de doenças infecciosas, como sífilis, tuberculose, etc, o que causou uma pressão enorme no planeta e nos trouxe para o momento que vivemos hoje”. A medicina é culpada? Os rios estão ficando sujos o mar não suporta a quantidade de pesca, as florestas não suportam os desmatamentos, mas a tecnologia é em si culpada? Não. É que conciliar as coisas é difícil. A técnica ou a ciência não são culpadas, nós é que somos culpados. Se não nos matarmos entenderemos.