Follow by Email

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

As palavras não são a verdade



(Palestra proferida em sesshin em Florianópolis) - Há um trecho do Vajracchedika Sutra, o Sutra do Diamante, que diz: “como este ensinamento deve ser recebido e compreendido? De acordo com o ensinamento do Buda, a perfeição da sabedoria transcendental não é realmente assim. Perfeição da sabedoria transcendental é apenas um nome a estudar. Subhuti, o que pensais? Tem o Tathagata um ensino para enunciar?”. E Subhuti respondeu a Buda: “Honrado pelo mundo, o Tathagata não tem nada para ensinar”. Isso é interessante se nós considerarmos que Buda ensinou durante 40 anos incansavelmente. O que significa então a declaração de Subhuti? Na verdade, todo o ensino e todas as palavras, não são o verdadeiro ensinamento. Ninguém, no Zen, aprende o que precisa realmente aprender ouvindo. Esse ensinamento não passa de um dedo apontando para a Lua. O dedo não é a Lua e você não pode confundi-lo. O ensinamento apenas aponta e ele é tão falho que é impossível pegar a experiência real através de ouvir palavras. Por isso, Buda diz: “depois de dizer essas palavras, eu as retiro” constantemente nos Sutras. No fundo são apenas palavras, não são a verdade. Lua é só um nome, não é a Lua mesmo. Nós é que convencionamos que a palavra Lua significa a Lua que vemos. (Continua)