Follow by Email

quinta-feira, 12 de abril de 2012

No primeiro nível


P. Então a compaixão ela entra como sentimento último para depois haver a claridade?
Monge Genshô: Sim, a compaixão é um dos paramitas, mas prestem atenção, nos paramitas todos generosidade, paciência, compaixão, estas virtudes budistas todas, implicam eu aqui o outro lá, então eu penso generosidade, mas quando eu penso generosidade sou eu que estou sendo generoso com o outro, automaticamente pode ser um paramita, mas ao mesmo tempo ele tem individualidade e tem outros venenos que vem junto, orgulho de ter feito bem, satisfação por ter sido bondoso.

P. Mas no fundo ele é o caminho também? Se a gente não tiver esta conduta principalmente no início e achar que a gente tem que alcançar a última é como se a gente quisesse pular por cima.
Monge Genshô: Sim. É caminho de prática. Por isso toda a prática começa individual, você senta individualmente e a gente diz assim seja compassivo, ontem eu disse na refeição seja tolerante com os erros dos outros, devemos ser tolerantes com os erros dos outros na cerimônia do oryoki, todos cometem erros, todos vão cometer, isto é o que é uma prática virtuosa, mas ela é realmente prática do primeiro nível, nós estamos praticando paramitas, praticando paciência.