Follow by Email

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Tudo está contido e nada se perde



As folhas caem...o jardim está perdido?

Pergunta: 
Vou perder minha esposa, minha filha,  meus pais. Tudo muda o tempo todo. Pelo que o Sr. fala, a iluminação é ficar admirando as coisas se desmontando. Como posso ser feliz no budismo?

Resposta:  
Seria assim se nós fossemos isto, seres isolados com posses materiais e vínculos emocionais em um mundo impermanente, mas não somos isto, somos muito mais como sempre explico, somos unidade e o todo abrangente. Ver-se como indivíduo é este engano monumental que desemboca exatamente no que você falou, e o desespero fica grande o suficiente para corrermos atrás de alguma mentira consoladora. 
Se você enxergar a eternidade e a unidade não existem  surgimentos nem cessação. Leia de novo o sutra do coração da sabedoria, ao ver o vazio dos agregados o bodisatva livra-se instantâneamente de toda a dor e agonia, o budismo é para ser feliz e ver que não existe nenhum se desmontar das coisas, que estamos sempre juntos na unidade. No tempo tudo está contido e nada perdido pois neste universo nem a menor memória se apaga pois tudo está acessível aos olhos iluminados, nossos entes queridos estão aqui conosco para sempre, nossos ancestrais somos nós mesmos. Por não ver a unidade nos perdemos nesta fantasia de individualidades e assim sim não existe saída para o sofrimento das perdas em um mundo mutável.
Desta unidade falam os grandes místicos cristãos, sufistas, hassídicos, budistas, não podem os mais sábios de todos terem enxergado a mesma coisa em múltiplas doutrinas sem que houvesse algo atrás delas que indicasse a verdadeira sabedoria.

Monge Genshô