Follow by Email

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Solidão



Aluno – Esse terceiro aspecto que diz respeito à solidão é na verdade uma coisa que pode ser aplicada nesse caso, porque a pessoa que está com a mente calma estará em solidão mesmo que esteja no meio de uma multidão. Acredito que a melhor solidão é a solidão da mente. A verdadeira solidão, a verdadeira renúncia está dentro do homem.

Monge Genshô - Boa observação, nós podemos observar também que dentro do sentido dessa prática, como deve ser a pratica do leigo? Já que ele não pode ficar sozinho realmente, pois vive no mundo, trabalhando, estudando etc., ele deve agitar o menos possível o mundo. Essa não é uma solidão triste, é uma solidão plena, o homem esta pleno de si mesmo. Está em contato com o absoluto. Exatamente por isso essas pessoas são procuradas para servir de apoio, pois os outros sentem que essas pessoas estão calmas, centradas, que são felizes. Outro aspecto é que temos que procurar como leigos, relacionamentos sólidos, estáveis, calmos, felizes. Essa relação deve transmitir às outras pessoas uma sensação de calma a ponto de as pessoas se sentirem a vontade em lhes fazer uma visita, pois é uma casa que transmite isso. Você deve procurar menos agitação e não mais. É esse o sentido da prática para o leigo. Também o mundo não poderia ser composto de monges senão terminaria em uma geração, é preciso que haja pessoas que vivam vidas comuns. Quando a gente fala com uma pessoa muito agitada, nós dizemos que ela tem que sentar por quarenta minutos de frente para a parede, quieto e imóvel. A primeira coisa que ela diz é que isso é impossível para ela, que não consegue e a ansiedade a fará subir pelas paredes. Porque essa é a imagem que ela tem da própria mente, é que é impossível se enfrentar, por isso, as pessoas querem se distrair, se divertir.

Aluno – Existem pessoas que chegam em casa e ligam a televisão para ter o que escutar, porque não conseguem estar sozinhas consigo mesmas.

Monge Genshô – Porque é difícil demais para elas. Nós temos que entender que isso é sofrimento, temos que nos compadecer disso e entender. As pessoas que são capazes de chegar num local e ficar em silêncio, estão muito melhor do que as que precisam uma música de fundo ou uma televisão ligada para não se sentirem abandonadas. Não sentirem medo, tédio ou algo do tipo.