Follow by Email

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

É possível mudar o carma



Pergunta: Eu posso alterar as consequências do carma?
Monge Genshô:
O carma é alterável, você pode fazer esforço e mudar seu carma, para o mal ou para o bem, pode fazer ações com grandes consequências. Você pode fazer uma tatuagem na metade do seu rosto e quando for procurar emprego ninguém dará emprego para você por causa da tatuagem. Quem foi que arrumou essa condição? Foi você. Não existem ações sem consequências.

Eu conheço um homem de uma família de nove filhos, todos do interior, o pai era agricultor, mas ele detestava trabalhar com a enxada e por causa disso ele estudou muito. Nenhum dos irmãos estudou, mas ele se formou como engenheiro e conseguiu uma condição melhor de vida. Ele tinha o impulso de querer escapar daquilo e por isso ele escapou, mas ele precisou se esforçar para isso, porque ele tinha carma para nascer lá no interior.

Todas as causas tem consequências, não existe uma coisa que aconteça no mundo que não tenha uma causa anterior. Eu estou sentado aqui falando para todos vocês. Para que isso acontecesse eu precisei pedir para ser monge, treinar durante 10 anos e fazer uma porção de coisas, algumas delas bastante desagradáveis e difíceis, como ficar em mosteiros incomunicável, mas só porque fiz essas coisas estou aqui hoje. Se eu não tivesse feito esse esforço, eu não estaria aqui. Simples. Então não existe fruto sem plantação. Você faz por onde.

As pessoas começam às vezes com uma ação muito pequena. Como o cigarro, você começa com um e depois vai indo. A bebida também, no começo você entorna só um copo, depois de 20 anos o índice de recuperação de alcóolatras é quase zero. Nesse momento a pessoa já destruiu sua família, seu fígado, está com cirrose e tudo isso são consequências de uma causa anterior. Se você fuma, certamente a longo prazo você vai ter enfisema, dificuldade respiratória e talvez tenha um câncer. Se você morrer disso é uma morte afogado, tentando conseguir oxigênio e sem conseguir porque o pulmão perdeu a capacidade de fazer isso. Mas quando você está com enfisema não adianta mais querer limpar o pulmão, não tem como. O carma é assim, não tem nada de mágico, ele é essencialmente prático. Você faz e recebe as consequências.

No budismo não tem ninguém para carregar as consequências por você, não tem um salvador que vá resolver as coisas para você. Você vai ter que pagar o ônus da sua escolha. Você pode fazer coisas para melhorar, mas dizer que vai resolver completamente, não vai. Se você insulta alguém, a pessoa fica com raiva de você. Se você vai até a pessoa, tentando melhorar esse carma, pede desculpa, a pessoa perdoa você, mas não esquece, portanto você resolveu em grande parte, mas não completamente. E o carma prossegue de vida após vida. Você nasce numa vida e herda as consequências da vida anterior. Você nem sabe por que, ou quem foi que fez algo e no fundo era outra identidade, mas você é herdeiro dela e agora sofre as consequências daquela identidade. É como se aos dois anos você fizesse algo que fez com que você perdesse um dedo. Agora você é adulto, sente falta do dedo e não lembra como o perdeu, mas foi você que perdeu o dedo. O sofrimento está ali, você herda do seu próprio carma. A boa novidade é que a gente pode alterar o carma, pode alterar tudo. Você pode alterar sua mente, suas ações, a maneira como você pensa, reage e assim a sua vida muda junto. Na verdade, quando a gente faz zazen está eliminando carma, porque você senta aqui e apaga, esquece de si mesmo e constrói uma nova vida. Quando você está parado fazendo zazen não gera carma.

Pergunta: Por que o zazen apaga carma?
Monge Genshô:
Porque grande parte daquilo que é carma é marca na nossa mente, o que significa que determinadas atitudes provêm da sua maneira de pensar e o zazen faz com que essa maneira de pensar mude. Ouvindo o Dharma você muda, você começa a identificar: “eu fiquei com raiva de uma pessoa e isso é coisa do reino dos infernos, eu não quero nada com isso, não vou cultivar esse sentimento, raiva só produz mais raiva, ódio só produz mais ódio”. Com isso você começa a mudar seu carma, você começa a apagar a sua marca cármica anterior. Por isso o zazen corta carma e por isso ouvir o Dharma corta carma, mas é preciso aproveitar. Se você praticar a sério mudará sua atitude em relação ao mundo e mudará o seu carma.