Follow by Email

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Treinamento Árduo




Os Mestres não são nem um pouco piedosos. Se você não tiver confiança e coragem para ficar com seu professor você desiste, pois acha que ele não é nem um pouco compassivo com você. Quanto mais ele acreditar em você, mais severo ele será. Enquanto os alunos são novos, eles são muito bem tratados. Quanto mais o aluno progride, mais o professor pede a ele. Este é o processo. Não é muito diferente de quando você resolve estudar música, vai a um professor e pede que ele lhe ensine. Ele cobra muito de você e, quanto melhor é o aluno, mais ele cobra. É natural.

Semana passada eu visitei, com a Semitha Cevallos (Shin On), que é nossa aluna em Joinville e pianista no Bolshoi, o diretor do Bolshoi, senhor Pavel. Na Rússia, ele foi selecionado para o Conservatório de Moscou, onde é difícil de entrar. De lá, foi selecionado para o Bolshoi e hoje é diretor do Bolshoi de Joinville, o único Bolshoi fora da Rússia no mundo.

Ele estava nos falando do padrão de treinamento do aluno no Conservatório de Moscou: são seis horas por dia no instrumento treinando, fora as aulas de harmonia, composição, teoria musical, etc. que ele tem que fazer e, fora o colégio, instrução normal.

Só assim você consegue um alto padrão, somente com alta exigência. No Zen não é diferente. Os mosteiros são tão severos, tão difíceis. No ano passado eu estive por três meses em um mosteiro japonês e perdi 16 Kg. Sodô san, nossa Monja de Brasília, ficou dez meses, e perdeu 25 Kg. Realmente não é fácil, mas é muito melhor do que era no tempo de Dogen, no séc. XIII. Quem quiser ter uma ideia, assista ao filme sobre a vida de Dogen.