Follow by Email

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Monges e deuses


 (continuação)
Pergunta – Eu queria saber se é possível que uma pessoa que acredite na existência de Deus possa virar Monge Budista, ou isso é uma contradição em termos?

Monge Genshô - Depende. Se esse deus for Thor, o deus viking que fazia os trovões batendo com seu martelo nas nuvens, fica um pouco complicado, porque a gente já conhece a eletricidade, sabe o que é um raio, e o que é um trovão. E por causa disso o deus Thor foi abandonado. Você precisaria me descrever qual é o deus que estamos falando. Se esse deus que você esta falando fosse assim, uma luz infinita que tudo permeia mas que não toma decisão nenhuma nem interfere na vida  dos homens, não teria muito problema. Mas como o budismo nunca fala sobre deus, também não teria que ter discussão sobre o assunto.

Mas se você trouxesse um deus “criador”  esse deus fica complicado, porque um deus criador assim, não vai caber muito bem dentro dos raciocínios budistas, uma vez que automaticamente você vai dizer assim: “mas se esse deus é criador, porque que não fez bem feito”? “Ah, porque havia o livre arbítrio, foi o homem que agiu errado”. E você pergunta: “Livre arbítrio”? Mas se você coloca um elefante dentro de uma loja de cristais você é responsável ou não pela quebradeira? Você vai dizer: “Sou responsável”. Por quê? “Porque sabia o que ia acontecer colocando o elefante dentro da loja de cristais”. Bom, então o deus criador sabia o que ia acontecer? Sabia. Então ele é responsável.

Se você começa a cair em raciocínios desse tipo isso dá uma enorme confusão. O budismo não está interessado nesses debates, porque eles são muito antigos. Essa discussão é muito velha e o deus criador já no tempo de Buda, não era uma consideração válida.

Vejam que o budismo nasceu dentro de um meio hindu, e no hinduísmo nós tínhamos um deus criador, um deus destruidor, tínhamos Krishna, Yndra, Bhrama, ele nasceu num contexto teísta, e o budismo é um rompimento absoluto com o teísmo hindu.

Nasce no meio do hinduísmo e rompe com tudo. Rompe com o sistema de castas, rompe com o sexismo entre homens e mulheres, rompe com os deuses, transforma os deuses em ouvintes de Buda. Então, o rompimento é muito absoluto: “essa é a primeira religião que surgiu sem deuses”.  Depois dela, não surgiu nenhuma religião assim. Então o budismo está isolado como um fenômeno estranho e é interessante porque é anterior à maioria das grandes religiões do mundo.

Pergunta – Monge, uma vez perguntaram pro Dalai Lama se o budismo seria uma religião, e ele respondeu que o budismo poderia ser chamado de uma “ciência da mente”. O Zen encararia o budismo também dessa forma?

Monge Genshô - Está mais próximo porque a palavra “religião” vem da palavra em latim “religare”, ou, em outras versões do latim “religio”. A primeira tem o significado de religar o homem com uma realidade da qual ele está desconectado, mas a declaração do budismo não é essa não, pois nunca estivemos desconectados, nós nunca estivemos separados, você é que não está vendo que é um com tudo. Você pertence a esse universo junto com todos os seres agora, você está perdido na ilusão de um eu e é por isso que você não está enxergando a sua verdadeira natureza, então neste sentido, é uma ciência da mente.
( Final de palestra pública em Goiânia, decupada da gravação por Rachel San)