Follow by Email

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Felicidade é libertação


Pergunta – Eu fico pensando numa prisão, esta própria vida mesmo.

Monge Genshô - O próprio desejo e o sonho daquilo que você quer alcançar é a fonte do seu sofrimento. A melhor maneira de não sofrer é não desejar.

Pergunta – Quando a gente senta em zazen todos os seres também sentam em zazen, e a gente senta para estabilizar, dessa forma então nós também estaríamos estabilizando todos os seres?

Monge Genshô - Você mesmo é um universo inteiro, se você se ilumina, todo o universo se ilumina com você. Cada um de vocês é o centro de um universo inteiro, porque ele surge simultâneamente com o observador, quando vocês sentam para meditar sentam com todos os seres. Se vocês se iluminam, todos os seres se iluminam e toda a terra se ilumina, porque cada homem põe óculos e olha o mundo. Normalmente nós temos óculos coloridos, vamos dizer assim, uma pessoa que está sempre com raiva tem óculos vermelhos, uma pessoa sempre invejosa tem óculos lilás, uma pessoa que vê tudo maravilhoso tem óculos cor de rosa.

Na realidade nós sentamos para tirar os óculos coloridos, para ver o mundo como ele é. O mundo existe, mas ninguém vê a realidade como ela é. Todo mundo a vê distorcida, através de suas opiniões, preconceitos, imagens, formações, personalidades, então todos estão vendo um filme ilusório.
Por isso a palavra Buda vem da raiz “bud”, acordar. Quer dizer “aquele que despertou”, só isso. Ele era um homem como nós, que acordou, e acordar é se iluminar, Por isso o iluminado é maravilhoso, mas não é mágico. É extraordinário, mas não é impossível. Qualquer um pode acordar, porque todos são Budas em potencial. Se estão dormindo, é só acordar. A função dos professores é sacudir os ombros. Um homem está dormindo e tem um pesadelo, e ele sofre, sua, etc. Então você, que é amiga dele, vai lá e diz: “acorda”! E quando ele desperta vê que era apenas um sonho e tem alívio, mas ainda está suado e o coração ainda bate forte. Era só um sonho, havia sofrimento real mas ele acordou.

Então a função dos professores é sacudir os ombros, por isso os professores do Zen são às vezes muito chatos, maus, dizem coisas tão duras, porque o que querem é acordar você. Acordem das suas ilusões, não existem crenças que possam nos socorrer, não existem seres lá fora para nos ajudar, nós é que podemos nos ajudar. Os mestres não são perfeitos, os professores são homens como nós, eles já aprenderam algumas coisas então podem transmitir algo, ou podem talvez sacudir os ombros e dizer “acorda”, mas quem acorda somos nós. Então todos somos Budas, em potencial, por isso precisamos sacudir seus ombros e dizer para não se agarrarem em crenças ou ilusões, nem em anjos, nem em demônios, nem em deuses, nem em almas eternas, nem em mundos maravilhosos para onde você vá depois que morrer. Não é assim, a vida simplesmente continua.

Eu gostaria de dar boas notícias, a boa notícia é: “todos podem acordar, e instantaneamente toda a agonia e sofrimento desaparecerão”. Porque você pode se agarrar em algo e dizer que esse algo vai te salvar, mas você continua com medo. Um medo de não dar conta, medo de errar e ser condenado, medo de ser castigado, medo de alguém que está lá fora vigiando você todo o tempo e todos nós somos seres tão errados, não é mesmo?

Na verdade felicidade é libertação, você tem que se libertar de tudo isso e aí então pode ser feliz.